Na agricultura convencional moderna, não há necessidade de o agricultor criar uma relação pessoal com a sua fazenda: é um tipo de tecnologia de apertar botões. Assim não há razão para o agricultor buscar uma nova relação entre ele mesmo, como um microcosmo, e a  natureza, como o macrocosmo.

Mas, quando trabalhamos com as indicações dadas por Rudolf Steiner no Curso Agrícola, logo descobrimos que agricultura de sucesso requer a construção de uma relação pessoal. Isso é baseado em uma sólida abordagem científica, mas leva além, à prática de uma arte.

A agricultura biodinâmica, no seu ser essencial, tem de ser descoberta como uma nova arte. Isso significa que temos de desenvolver uma relação pessoal para atravessarmos o abismo entre nosso próprio ser espiritual e o mundo exterior. O que quer que praticarmos em agricultura, deveríamos nos dar conta de que, para começar, estamos repetindo conquistas passadas. Se fazemos uma pilha de composto, por exemplo, precisamos fazer com que a decomposição e a formação de húmus aconteçam da maneira correta. de forma que, para entender amplamente esse processo, deveríamos fazer isso à mão, de vez em quando. Não é algo que simplesmente acontece sozinho, nós estendemos nosso ser para dentro do processo e, dessa forma, construímos uma relação pessoal. Se trabalhamos com esterco de vaca, isso é mais necessário ainda. Não é bom simplesmente jogar tudo em um monte, em algum lugar, mas precisamos trabalhar conscientement com esse material através do ano, cheirá-lo, tomá-lo nas mãos e observar sua estrutura e cor. Certamente devemos apreciar a análise cientpifica de quanto nitrogênio, potássio, etc. há ali, mas isso tem de ser contemplado pelo sentir, tocar e aprender a perceber que é uma substância que contém forças poderosas.