Muitos talvez não classificariam a agricultura de cultivo alternado com pousio dentro de sistemas agroflorestais, mas de fato esses sistemas de cultivo, que representam uma das formas mais antigas de agricultura em diversas partes do mundo, apresentam muitas características em comum com os SAFs.

Dependem das árvores para o seu sucesso, pois o crescimento destas promove a regeneração da fertilidade, o que permitirá um novo ciclo de cultivo de plantas anuais posteriormente. Por outro lado, muitas vezes se baseia na regeneração espontânea das espécies nativas, sem a intervenção humana.

O sistema de pousio guarda certa semelhança com alguns SAFs sequenciais, na medida em que existe uma alternância entre culturas anuais e árvores.

Os sistemas de pousio ou agricultura itinerante representam a forma de agricultura que proporciona o maior retorno econômico em relação ao trabalho na ausência de disponibilidade de capital financeiro (Arnold 1987). Por outro lado, requer extensões de terra maiores para permitir uma rotação no uso da terra.

Mais recentemente, sistemas de pousio”melhorado” tem sido desenvolvido e implementados com o enriquecimento da fase de pousio através do plantio de espécies arbóreas específicas, que tem por objetivo tornar a regeneração mais rápida e eficiente(Sánchez ET AL. 2002a, 2002b). Muitas vezes, essas espécies arbóreas são leguminosas que abrigam bactérias fixadoras de nitrogênio. a presença de espécies leguminosas arbóreas promove um incremento de biomassa na sucessão secundária(Siddique ET AL. 2008). Com isso, um maior volume de nutrientes minerais será acumulado na biomassa das árvores, arbustos e micro-organismos dentro do pousio, o que, por sua vez, favorecerá o cultivo de plantas de interesse econômico após a derrubada da floresta. Os sistemas de pousio melhorado com leguminosas também promovem outros benefícios, como por exemplo, a redução de doenças e de ervas competidoras. Em parte isso, se dá em função do efeito da rotação, visto que a cultura de ciclo curto não ETA presente todos os anos . Mas também pode ser efeito de processos de sombreamento e alelopatia causados pela espécie arbórea sobre as plantas indesejáveis (Siddique ET AL. 2008).

Um dos problemas ecológicos relacionados ao sistema de pousio é o uso do fogo para o preparo do solo antes do cultivo das culturas de ciclo curto. O fogo representa uma ferramenta de trabalho de  para o preparo do solo que substitui o uso de ferramentas e maquinário, o que pode ser especialmente importante em áreas onde esses insumos não estão disponíveis ou o seu custo compromete a viabilidade. Por outro lado, o fogo, promove a perda de uma parcela considerável de nutrientes, que são volatilizados (Baggio ET AL. 2004).

O período de pousio não implica necessariamente ausência de produção. Muitos produtos florestais podem estar cultivados e manejados durante o pousio. Uma floresta secundária que se forma no pousio serve não somente para acumular nutrientes minerais para reiniciar futuros cultivos, como também para abrigar cultivos complementares ou plantas úteis para uma família ou comunidade. Na Amazônia Peruana, mais de cem espécies vegetais úteis foram identificadas em áreas de pousio, algumas cultivadas e outras espontâneas (Denevan e Treacy 1987).