O nirá, da família das Aliáceas, tem como parentes próximos a nossa cebolinha, o alho e a cebola. Seus antepassados eram chineses, mas vieram ao Brasil com os imigrantes japoneses. É uma erva aromática que cresce em touceiras. Suas folhas estreitas e chatas possuem um verde intenso, medindo entre 20 e 30 centímetros.

Usos e propriedades

É muito utilizado na medicina e culinária oriental. Por ser da mesma família do alho, tem um sabor semelhante quando refogado. Mas na aparência ele lembra a cebolinha, sendo até mais rico em fibras. Quando refogado com agrião, acelga ou caruru forma uma boa dupla. Também dá um toque picante  e especial aos molhos para saladas e patês. Tem propriedades regenerativas, desinfetantes e revitalizantes. O professor Tomio Kikuchi, instrutor da macrobiótica na América do Sul, indica o suco de nirá como depurativo geral do organismo intoxicado, especialmente em casos de doenças venéreas. O suco de um maço de nirá deve ser misturado a uma quantidade de água de cinco xícaras de café por dia. Os japoneses costumam macerar as folhas do nirá, passando nos cortes e queimaduras. Eles dizem que além de estancar o sangue e ajudar na cicatrização, ele também repele cobras.

Clima

Cresce melhor com temperaturas de 15 a 23°C. No calor intenso suas folhas ficam menores e um pouco amareladas. Gosta dos dias curtos.

Solo

A terra de sua preferência é a areno-argilosa, podendo ser de profundidade média. Também pode ser plantado em terrenos turfosos ou várzeas, desde que bem drenados.

Variedades

No Brasil só existe uma variedade cultivada.

Épocas

Pode ser cultivado em qualquer época do ano.

Plantio

Existem diferentes maneiras de plantar o nirá: em sementeira, com posterior transplante das mudas para áreas maiores; adquirindo mudas já formadas; plantando as sementes no local definitivo. Se você escolher o plantio em sementeiras, veja como se faz com a cebolinha e proceda da mesma forma. Caso consiga mudas, plante uma ou duas por berço com espaçamento de 20 centímetros entre linhas. A semeadura em local definitivo deve ser feita com o mesmo espaçamento. Coloque 10 sementes por berço a uma profundidade de três a quatro centímetros. Cubra com uma camada fina de solo e passe a regar normalmente. Começam a brotar depois de 10 a 15 dias. O nirá também pode ser plantado em vasos perto das janelas e no quintal. Para isso siga as mesmas recomendações básicas, e você ganha um belo e gostoso enfeite.

Pragas e doenças

Pode ser atacado pela ferrugem, no período das chuvas, e pela podridão-mole. Não é atacado com frequência por insetos, embora possa receber visitas de pulgões.

Colheita

É feita quando as folhas atingem 30 centímetros de altura, ou, um pouco antes, se você estiver com muita vontade. Quem usa sementes costuma colher entre 80 e 100 dias. Com as mudas, a colheita acontece cerca de 50 dias depois do plantio. Corte as folhas rente ao solo permitindo assim que rebrotem.  

Depois da colheita

Aproveite a ocasião e faça uma boa limpeza. Arranque as plantas que estiverem secando com sinais de doença, como folhas murchas ou manchadas. Após o corte, espalhe uma camada de cinzas por cima da área: isso protege os cortes da planta contra o ataque de doenças e faz com que ela brote com mais vigor.

Mudas próprias

Quando o seu canteiro estiver produzindo, reserve uma touceira bonita e vá retirando dali as novas mudas. A primeira coisa a fazer é observar atentamente as plantinhas, vendo a que profundidade elas estão enterradas, aonde vão suas raízes e quais as mais fáceis de soltar. Afofe a terra que envolve a touceira, tomando cuidado para não ferir a muda e suas raízes. Vá desprendendo gentilmente uma planta da outra. Transplante o mais breve possível, mantendo a mesma profundidade em que ela estava.

Rotação e consorciação

Como o alho e a própria cebolinha, o nirá pode ser plantado em linhas, formando uma barreira de proteção para as hortaliças contra os insetos. Faz uma boa rotação com quiabo, maxixe, coentro ou salsa.