No solo, o pó de basalto é atacado pelos microorganismos (bactérias e fungos) e pelas secreções ácidas das raízes das plantas que solubilizam o pó moído.

No solo, o pó de basalto é atacado pelos microorganismos (bactérias e fungos) e pelas secreções ácidas das raízes das plantas que solubilizam o pó moído.  O solo não deve ser preparado, mas mantida a cobertura vegetal e a adubação verde para uma melhor eficiência do pó de basalto. A maneira de aplicar o pó é semelhante à aplicação do calcário. 

São inúmeras as vantagens proporcionadas pela utilização do pó de basalto:

  1. Liberação lenta de nutrientes;
  2. As perdas de nutrientes, por lixiviação, são reduzidas;
  3. Economia no emprego da mão-de-obra;
  4. Neutraliza a acidez do solo;
  5. Não tem propriedades acidificantes nem salinizantes para o solo;
  6. A presença de sílica diminui a fixação do fósforo;
  7. É uma boa fonte de micronutrientes para as plantas;
  8. Economia no emprego de fertilizantes;
  9. Substitui a adubação química e tem efeito residual maior;
  10. Menor incidência de pragas e doenças.

As mudas cítricas, que receberam no plantio uma quantidade de pó de basalto, apresentaram um desenvolvimento mais rápido e as folhas são maiores e mais pesadas. Por sua vez, as hortaliças, quando recebem aplicações de pó de basalto no solo, apresentam folhas com maior resistência ao ataque de patógenos. As melâncias, que recebem, na cova, uma mistura de pó de basalto e húmus na proporção 1:1, apresentam folhas mais desenvolvidas e o controle de pragas e doenças é mínimo.

Mais impressionante ainda é a capacidade que o pó de basalto possui em recuperar solos que foram empobrecidos pelos processos de erosão, lixiviação, acidificação natural ou pela aplicação de fertilizantes químicos, e principalmente pela exportação contínua de nutrientes pelas colheitas.

Num processo convencional de produção de alimentos, são fornecidos às plantas apenas nitrogênio, fósforo e potássio, chamados de NPK, tornando o solo e sua produção desequilibrados e enfermos. Sabemos que, para uma planta desenvolver-se sadia e equilibrada necessita de 45 micro e macronutrientes, dos quais podemos encontrar no pó de basalto.

A importância do solo é muito grande, para toda cadeia alimentar, dentro desta cadeia está o homem, que depende totalmente dele para se alimentar. Do equilíbrio do solo depende toda a vida na Terra. Assim, as plantas crescerão sadias e sem doenças, biologicamente completas. Terão quantidades e proporções ideais de minerais para alimentar qualquer animal e mantê-lo sadio, sem doenças e com vitalidade.

Só para dar um exemplo da importância do solo na cadeia alimentar do homem, os solos carentes de magnésio vão produzir culturas deficientes deste mineral, e os animais que delas se alimentarem tornar-se-ão carentes. No homem, as carências de magnésio provocam doenças como: hipertensão, artrose, artrite e muitas outras, uma vez que efetua mais de 300 funções no organismo humano.

A presença de uma ampla diversidade de elementos químicos no pó de rocha, com destaques para os elevados teores de fósforo (cerca de 60 vezes mais que um solo de ótima fertilidade), cálcio (10 vezes mais), magnésio (20 a 40 vezes mais), enxofre, potássio, boro, ferro e principalmente o silício, numa proporção elevada de óxidos de silício (7,8%), além de titânio, lítio, cobalto, iodo e tantos outros elementos que a ciência agronômica ainda não estudou os efeitos sobre as plantas.

O resultado imediato da aplicação do pó de basalto é o desenvolvimento abundante de raízes das plantas, tornando-as capazes de aumentarem a absorção de nutrientes e conseqüentemente sua capacidade produtiva. Estudos recentes no Brasil o indicam como potencial recuperador de pastagens e de canaviais. A liberação dos nutrientes do pó de basalto é gradual e contínua. As pesquisas apontam que os melhores efeitos são obtidos com o pó de basalto de granulometrias variáveis, isto é, uma mistura de grãos finos e grãos mais grossos.

As partículas mais finas têm uma liberação mais rápida de nutrientes, enquanto que os grãos maiores vão liberando seus nutrientes lentamente, de forma homeopática.

Mas o maior benefício do basalto é mesmo a produção de alimentos muito mais sadios e riquíssimos em nutrientes, tornando as pessoas e os animais que deles se alimentam igualmente sadios e bem nutridos. Plantas mais sadias, resistentes ao ataque de doenças e pragas.